Carta de Maquiavel a Francesco Vettori

(10-12-1513)

No final de 1513 – e ainda na condição de proscrito, decorrente do regresso dos Medici ao poder –, Maquiavel escreve a que é hoje considerada uma das cartas mais célebres da literatura epistolar italiana, endereçada ao embaixador florentino junto da Santa Sé, Francesco Vettori, de quem era amigo e compadre. Nesse texto, o grande pensador florentino revela com extrema candura o seu dia-a-dia de exilado, descrevendo um comportamento que, em propositado contraste, oscila entre o de um rude camponês toscano e o do intelectual que não se resigna a deixar de sonhar, ainda que o faça acordado e consciente de uma precária condição a que deseja ardentemente pôr cobro. Essa carta é, também, o primeiro documento a revelar a adiantada preparação de O Príncipe.

Para ler o artigo clique em

Maquiavel carta a Francesco Vettori.pdf (68257)

*****************************************************************

DE QUANTAS ESPÉCIES SÃO AS REPÚBLICAS E A QUAL DELAS PERTENCEU A REPÚBLICA ROMANA

Nicolau Maquiavel

Não pretendo tratar daquelas cidades que tiveram o seu princípio na dependência de outras. Falarei, sim, daquelas cuja fundação ocorreu longe de qualquer servidão externa e que logo começaram a governar-se livremente, como repúblicas ou como principados, as quais, do mesmo modo que tiveram inícios diversos, também tiveram leis e ordenamentos diferentes.

Para ler o artigo, clicar em

De quantas espécies são as repúblicas.pdf (112752)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>><<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<

De como os cidadãos que tenham desempenhado os mais elevados cargos não devem, depois, desdenhar o desempenho de cargos menores

Nicolau Maquiavel

Para ler o artigo, clicar em;

Desempenho_cargos_menores.pdf (136433)

ssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

De como, muitas vezes, o povo, enganado por uma falsa ideia de bem, acaba por contribuir para a sua própria ruína; e de como as grandes esperanças e as atraentes promessas facilmente o entusiasmam

Nicolau Maquiavel

... quando o destino faz com que o povo não tenha fé em ninguém, como por vezes acontece, por ter sido enganado no passado – pelas circunstâncias ou pelos homens –, é inevitável a ruína. 

Para ler o artigo, clicar em

Falsa ideia de bem.pdf (170978)

####################################################

De como são tanto de louvar os fundadores duma república ou dum reino como os duma tirania são de condenar

Nicolau Maquiavel

            Dentre todos os homens louváveis, são de maior merecimento aqueles que foram líderes e fundadores das religiões. Logo depois, vêm aqueles que fundaram repúblicas ou reinos. A seguir a estes, alcançaram a celebridade aqueles que, à frente dos exércitos, dilataram o seu reino ou a pátria.

Para ler o artigo, clicar em:

República X Tirania.pdf (165055)

************************************************************

FABRIZIO COLONNA E A MILÍCIA VIRTUOSA

Nicolau Maquiavel

Em 1516, Nicolau Maquiavel começou a frequentar as reuniões académicas dos jardins do palácio Rucellai (Orti Oricellari), autêntico cenáculo literário da Florença daquela época. Foi nos jardins de Cosimo Rucellai que, entre o final de Agosto e os primeiros dias de Setembro de 1516, com o condottiero Fabrizio Colonna como palestrante, decorreu a reunião cuja memória virá a ser publicada sob o título A Arte da Guerra.

Para ler o artigo, clicar em

MILÍCIA VIRTUOSA.pdf (148623)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Das vicissitudes que levaram à criação em Roma dos Tribunos da Plebe, o que tornou a república mais perfeita

Nicolau Maquiavel
 
Para ler o artigo, clicar em
 
 
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv

De como uma república ou um príncipe devem mostrar que fazem por liberalidade aquilo a que a necessidade os constringe

Nicolau Maquiavel
 
Para ler o artigo, clicar em
 

Soldos.pdf (142123)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Da pobreza de Cincinato e de muitos cidadãos romanos

Nicolau Maquiavel

Cincinato arava a sua pequena propriedade, a qual não ultrapassava as quatro jeiras de terra, quando de Roma vieram os Legados do Senado a comunicar-lhe a eleição da sua ditadura e a mostrar-lhe em que perigo se encontrava a República romana.

Para ler o artigo, clique em

Da pobreza de Cincinato.pdf (152,2 kB)

««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

De como os Romanos faziam a guerra

 

Nicolau Maquiavel

Para ler o artigo, clicar em

De como os Romanos faziam a guerra.pdf (149236)

*********************************************************************

Contactos

A BIGORNA
Granja - V. N. Gaia

© 2015 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode