TUCÍDIDES EM PORTUGAL

Raul Miguel Rosado Fernandes

 

Para ler o artigo, clicar em

Tucídides em Portugal.pdf (103647)

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

A PESTE DE ATENAS (430 a.C.)

Tucídides

Nos primeiros dias do Verão seguinte, os Espartanos e os seus aliados, com dois terços das suas forças, como da vez anterior, invadiram a Ática, sob o comando de Arquidamo, filho de Zêuxis, rei de Esparta, e começaram a pilhagem e a devastação do território. Poucos dias depois da sua chegada à Ática, a peste começou a manifestar-se no meio dos Atenienses. Diz-se que previamente havia aparecido em muitos lugares, na vizinhança de Lemnos e noutros sítios. Mas não havia memória de uma epidemia desta magnitude e com tão elevado grau de mortalidade. 

Para ler o artigo, clicar em:

Peste_Atenas.pdf (228083)

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

DISCURSO DE CLÉON

Sobre a revolta de Mitilene (ilha de Lesbos)

Tucídides

Em 428 a.C., a ilha de Lesbos, que fora durante meio século um dos mais fiéis aliados de Atenas, fez defecção da Liga de Delos. Tal defecção podia alastrar a outras cidades e minar o domínio ático na Ásia Menor. Lesbos, pela sua estratégica posição na região dos estreitos do norte do mar Egeu, foi admitida na Liga do Peloponeso, embora os peloponésios não lhe emprestassem uma eficaz ajuda. Os atenienses enviaram à ilha o estratego Páccies no comando de 1 000 hoplitas, com 250 trirremes, do que resultaria a submissão da cidade e a captura de muitos prisioneiros. Cléon, adversário político de Péricles, tornara-se, após a sua morte, em 429 a.C., na principal figura de Atenas. 

Para ler o artigo, clicar em:

Discurso de Cléon.pdf (824112)

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»«««««««««««««««««««««««««««««««««««

ELOGIO FÚNEBRE

de Péricles

(Extracto de "História da Guerra do Peloponeso", de Tucídides - Edições Sílabo, Lda)

Para ler o artigo, clicar em:

Elogio fúnebre.pdf (49566)

*******************************************************************

 

REVOLUÇÃO

Por Tucídides

Foi tremendamente sangrenta a marcha da revolução, e, por ser uma das primeiras a ocorrer, a impressão causada foi enorme. Mais tarde, pode dizer-se, todo o mundo helénico se achou em convulsão. Todas as lutas eram desencadeadas, pelos chefes populares, com a finalidade de chamar os Atenienses, e, pelos dos aristocratas, para facilitar a entrada dos Espartanos.

Para ler o artigo, clicar em:

Revolução.pdf (54561)

wwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwww

PÉRICLES E A PERSPECTIVA DE GUERRA COM ESPARTA

Tucídides

Nesta passagem da História da Guerra do Peloponeso, Péricles desenvolve o que poderíamos designar por um "Estudo de Situação Estratégico", abrangendo todas as implicações de um possível conflito com os Peloponésios liderados por Esparta.

Para ler o artigo, clicar em

Péricles perspectiva guerra com Esparta.pdf (157684)

********************************************************************

AS MURALHAS DE ATENAS – O “ESCUDO ANTIMÍSSIL” DA ANTIGUIDADE

Tucídides

Tucídides, na sua História da Guerra do Peloponeso, conta-nos as condições em que os Atenienses decidiram, em 479 aC, reconstruir as muralhas de Atenas destruídas durante a guerra com os Medas. Sendo uma medida defensiva, foi entendida por Esparta e outros Estados helénicos como uma vantagem demasiado elevada - algo de comparável a um "escudo antimíssil" do nosso tempo. Os sublinhados são da nossa responsabilidade.

Para ler o artigo, clicar em

Muralhas de Atenas.pdf (235722)

********************************************************************

O estado da Grécia, desde os mais remotos tempos até ao início da Guerra do Peloponeso

Tucídides

Tucídides, um Ateniense, escreveu a história da guerra, entre os Peloponésios e os Atenienses, iniciando o seu trabalho logo que se começaram a guerrear, convicto de que seria uma guerra memorável, mais merecedora de relato do que todas as outras anteriormente travadas.

Para ler o artigo, clicar em

Grécia até início Guerra Peloponeso.pdf (988380)

sssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

DIÁLOGO MELIANO

Tucídides
 

Diálogo Meliano é uma passagem da História da Guerra do Peloponeso, de Tucídides, respeitante ao 16.º ano da guerra (416 a.C.) e constitui um dos episódios da obra mais conhecidos e estudados, sobretudo nos cursos de Ciência Política. Configura um dos exemplos mais crus do confronto entre o Liberalismo e o Realismo, no âmbito das Relações Internacionais. A peça ficou conhecida porDiálogo, dado que Tucídides lhe deu essa forma teatral, o que só valoriza o texto.

Para ler, clique em:

DIÁLOGO MELIANO.pdf (149,6 kB)

»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»»

Contactos

A BIGORNA
Granja - V. N. Gaia

© 2015 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Webnode